Segunda-feira, 31 de Janeiro de 2011

You know what..

publicado por Cátia Domingues às 15:47
link do post | Aplaudir | favorito
|

Facebook me

 

 

Vídeo sobre conteúdos e privacidade nas redes sociais da empresa 123People

 

 

publicado por Cátia Domingues às 14:32
link do post | Aplaudir | favorito
|

Heranças

Revistas Marketeers desde a sua fundação. Quinze anos de Marketeers.

 

Fez-me pensar que quando surgiu a Marketeer mal sabia juntar e um Tê e um À e se havia coisa que queria ser quando crescesse era Arqueóloga como o Indiana Jones. Ironias.

 

Sei que não se deve falar de heranças em público mas esta é especial ou não fosse graças a uma acção do Luís Rasquilha que decidiu fazer reciclagem mascarada de venda de garagem das suas antiguidades.

 

A mim calharam-me 15 anos de Marketeers. Vou abrir cada uma e gozar com os outfits e com os penteados. Vou analisar as grandes mudanças e o que continua na mesma. Vou achar muito mais coisas. Vou ficar mais insuportável.

 

 

Obrigada Luís, é menos pó que limpas em casa e é mais poeira que se acumula na minha.

 

publicado por Cátia Domingues às 11:04
link do post | Aplaudir | favorito
|
Sexta-feira, 28 de Janeiro de 2011

@catitah

O Twitter é uma plataforma bastante subestimada. Não é para as massas. É trendy ter uma conta, mas deixa de o ser passados 3 ou 4 tweets depois do primeiro login. É válido. Mas isso já toda a gente sabe.

 

Então quando uma marca tenta criar uma presença no twitter.com. Ui. É realmente difícil, como marca, conseguirmos gerir e alimentar com as coisas certas e surtir o efeito desejado, ou em certos casos, um efeito qualquer. (Não, não vou falar do caso #ensitel. O  @PauloQuerido já o fez e quando ele comenta alguma coisa, não existe de facto nada a acrescentar)

 

Pessoalmente é das ferramentas que acho mais interessantes. Deixei de pesquisar muita coisa porque, no Twitter, a maioria das coisas que considero interessantes são me partilhadas ao segundo.

 

Já conheci muita gente desde o meu primeiro dia como utilizadora e posso afirmar, sem qualquer receio, que me ajudou muito profissionalmente.

 

Fiz o meu primeiro login como @catitah e hoje em dia, após muita indecisão, confesso, metamorfose-ei-me para @catia_domingues. Só.

Foi uma mudança virtual que acompanhou a realidade da material.

 

Mas vou sempre guardar a @catitah no coração. Foi ela que começou todo o trabalho de networking, com uma certa 'insolência', e que passou hoje a @catia_domingues a assumir essa responsabilidade.

 

(estou um pouco emocionada, de facto tenho de começar a arranjar vida pessoal)

 

Bom, mas isto não é muito interessante, concordo, embora a minha mãe ache uma certa piada.

 

O que eu queria dizer quando comecei a escrever este post era isto:

 

Se formos ao Adplanner da Google e fizermos uma análise desta ferramenta em Portugal percebemos que não é ao acaso que o LinkedIn surge em primeiro como o site relacionado. E também não é de espantar que os interesses da maioria dos utilizadores portugueses se organizem em Web Services - Advertising & Marketing - Blogging Resources & Services.

 

E, permitam-me a ousadia - (e algum erro morfológico ou de sintaxe) - mas acredito que estar nesta rede social é bastante importante para pessoas do nosso sector. Se entram em intrigas se não, se volta e meia aparece algum 'wanna be', se têm vida pessoal ou não, se têm um smartphone ou não, se têm ou não tempo..isso já é com vocês que eu não tenho nada a ver com isso. Só temos que admitir que de facto tem a sua produtividade, nem que seja lúdica em última instância.

 

Embora seja de 2009, partilho este post que tem ainda grande pertinência. E que se o quiserem ler lêem, se não quiserem vão à praia que está um lindo dia de sol.

 

 

10 Reasons Why PR People Need to be on Twitter

 

 

FYI: o user @catitah já foi entretanto usurpado por alguém.

publicado por Cátia Domingues às 15:36
link do post | Aplaudir | ver aplausos (1) | favorito
|

O amor é uma coisa, a vida é outra.

Elogio ao Amor

 

Quero fazer o elogio do amor puro. Parece-me que já ninguém se apaixona de verdade. Já ninguém quer viver um amor impossível. Já ninguém aceita amar sem uma razão. Hoje as pessoas apaixonam-se por uma questão de prática. Porque dá jeito. Porque são colegas e estão ali mesmo ao lado.

Porque se dão bem e não se chateiam muito. Porque faz sentido. Porque é mais barato, por causa da casa. Por causa da cama. Por causa das cuecas e das calças e das contas da lavandaria.

Hoje em dia as pessoas fazem contratos pré-nupciais, discutem tudo de antemão, fazem planos e à mínima merdinha entram logo em "diálogo". O amor passou a ser passível de ser combinado. Os amantes tornaram-se sócios. Reúnem-se, discutem problemas, tomam decisões. O amor transformou-se numa variante psico-sócio-bio-ecológica de camaradagem. A paixão, que devia ser desmedida, é na medida do possível. O amor tornou-se uma questão prática. O resultado é que as pessoas, em vez de se apaixonarem de verdade, ficam "praticamente" apaixonadas.

Eu quero fazer o elogio do amor puro, do amor cego, do amor estúpido, do amor doente, do único amor verdadeiro que há, estou farto de conversas, farto de compreensões, farto de conveniências de serviço. Nunca vi namorados tão embrutecidos, tão cobardes e tão comodistas como os de hoje.

Incapazes de um gesto largo, de correr um risco, de um rasgo de ousadia, são uma raça de telefoneiros e capangas de cantina, malta do "tá tudo bem, tudo bem", tomadores de bicas, alcançadores de compromissos, bananóides, borra-botas, matadores do romance, romanticidas. Já ninguém se apaixona? Já ninguém aceita a paixão pura, a saudade sem fim, a tristeza, o desequilíbrio, o medo, o custo, o amor, a doença que é como um cancro a comer-nos o coração e que nos canta no peito ao mesmo tempo?

O amor é uma coisa, a vida é outra. O amor não é para ser uma ajudinha. Não é para ser o alívio, o repouso, o intervalo, a pancadinha nas costas, a pausa que refresca, o pronto-socorro da tortuosa estrada da vida, o nosso "dá lá um jeitinho sentimental". Odeio esta mania contemporânea por sopas e descanso. Odeio os novos casalinhos. Para onde quer que se olhe, já não se vê romance, gritaria, maluquice, facada, abraços, flores. O amor fechou a loja. Foi trespassada ao pessoal da pantufa e da serenidade. Amor é amor. É essa beleza. É esse perigo. O nosso amor não é para nos compreender, não é para nos ajudar, não é para nos fazer felizes. Tanto pode como não pode. Tanto faz. É uma questão de azar. O nosso amor não é para nos amar, para nos levar de repente ao céu, a tempo ainda de apanhar um bocadinho de inferno aberto.

O amor é uma coisa, a vida é outra. A vida às vezes mata o amor. A "vidinha" é uma convivência assassina. O amor puro não é um meio, não é um fim, não é um princípio, não é um destino. O amor puro é uma condição. Tem tanto a ver com a vida de cada um como o clima. O amor não se percebe. Não dá para perceber. O amor é um estado de quem se sente. O amor é a nossa alma. É a nossa alma a desatar. A desatar a correr atrás do que não sabe, não apanha, não larga, não compreende. O amor é uma verdade. É por isso que a ilusão é necessária. A ilusão é bonita, não faz mal. Que se invente e minta e sonhe o que quiser. O amor é uma coisa, a vida é outra. A realidade pode matar, o amor é mais bonito que a vida. A vida que se lixe. Num momento, num olhar, o coração apanha-se para sempre. Ama-se alguém. Por muito longe, por muito difícil, por muito desesperadamente. O coração guarda o que se nos escapa das mãos. E durante o dia e durante a vida, quando não esta lá quem se ama, não é ela que nos acompanha - é o nosso amor, o amor que se lhe tem.

Não é para perceber. É sinal de amor puro não se perceber, amar e não se ter, querer e não guardar a esperança, doer sem ficar magoado, viver sozinho, triste, mas mais acompanhado de quem vive feliz. Não se pode ceder. Não se pode resistir.

A vida é uma coisa, o amor é outra. A vida dura a vida inteira, o amor não. Só um mundo de amor pode durar a vida inteira. E valê-la também.

 

Miguel Esteves Cardoso

 


tags:
publicado por Cátia Domingues às 10:47
link do post | Aplaudir | favorito
|
Quinta-feira, 27 de Janeiro de 2011

FbRank PT

A importância crescente das redes sociais no dia a dia dos portugueses, levou a dJomba a lançar o FbRank Pt, um ranking diário de páginas portuguesas no Facebook, de acordo com o seu número de fãs.

 

O site encontra-se organizado em quatro áreas principais:

 

  • Páginas - ranking global com todas as páginas monitorizadas pelo site
  • Marcas - ranking especifico para páginas oficiais de marcas
  • Campanhas - ranking de campanhas e páginas de cariz temporário criadas por marcas
  • Pessoas - ranking de páginas oficiais de personalidades e figuras publicas nacionais

Os dois primeiros lugares do Top das páginas encontram-se:

 

1

Cristiano Ronaldo
18.771.628
+ 55.971 fãs
Mais 55.971 fãs em relação a ontem
2
Sport Lisboa e Benfica
374.136
+ 1.820 fãs
Mais 1.820 fãs em relação a ontem
O Top Marcas
1
Sport Lisboa e Benfica
374.136
+ 1.820 fãs
Mais 1.820 fãs em relação a ontem
2
5 para a meia noite
364.911
+ 656 fãs
Mais 656 fãs em relação a ontem
Top campanhas:
1
EU AMO VOCÊ
263.382
+ 413 fãs
Mais 413 fãs em relação a ontem
2
Dê Colo à Ajuda de Berço
222.094
+ 831 fãs
Mais 831 fãs em relação a ontem
Top Pessoas
1
Cristiano Ronaldo
18.771.628
+ 55.971 fãs
Mais 55.971 fãs em relação a ontem
2
NILTON
172.851
+ 163 fãs
Mais 163 fãs em relação a ontem

 

 

Interesting?

 

Indeed.

publicado por Cátia Domingues às 12:11
link do post | Aplaudir | favorito
|
Quarta-feira, 26 de Janeiro de 2011

Eu votei num Stand da Seat e você?

 

Um exemplo pioneiro de como combater a abstenção.

publicado por Cátia Domingues às 22:19
link do post | Aplaudir | favorito
|

Dangerous Thoughts

 

 

 

 

 

 

Sorry, this the lyrics is just too personal.

 

 

tags:
publicado por Cátia Domingues às 20:33
link do post | Aplaudir | favorito
|

Dear Managers,

 

 

Uma excelente apresentação TEDx por Jason Frie, co-fundador e Presidente da 37signals.

 

Quantos de nós nunca sentimos os altos e baixos na nossa produtividade no escritório? Quantos de nós consideramos certas dinâmicas existentes como pré-fabricadas? O Jason sabe. O Jason ajuda.

 

Vamos pensar sobre isto? Medir os prós e os contras? E não ter medo de podermos ser considerados demasiado fora?

 

Va lá, vá lá, vá lá..

 

Este post surge na sequência de um outro post feito neste mesmo dia com este mesmo vídeo mas que é de facto tão bom, tão bom, que não resisti a amplificá-lo.

 

publicado por Cátia Domingues às 19:28
link do post | Aplaudir | favorito
|

Alone

From childhood's hour I have not been
As others were; I have not seen
As others saw; I could not bring
My passions from a common spring.
From the same source I have not taken
My sorrow; I could not awaken
My heart to joy at the same tone;
And all I loved, I loved alone.
Then- in my childhood, in the dawn
Of a most stormy life- was drawn
From every depth of good and ill
The mystery which binds me still:
From the torrent, or the fountain,
From the red cliff of the mountain,
From the sun that round me rolled
In its autumn tint of gold,
From the lightning in the sky
As it passed me flying by,
From the thunder and the storm,
And the cloud that took the form
(When the rest of Heaven was blue)
Of a demon in my view.

 

Edgar Allan Poe

 


tags:
publicado por Cátia Domingues às 15:11
link do post | Aplaudir | favorito
|
Terça-feira, 25 de Janeiro de 2011

Acção - Reacção

 

Acção

 

 

Reacção

 



publicado por Cátia Domingues às 16:47
link do post | Aplaudir | favorito
|

Facebook #fail

Ouve Facebook, estamos com um problema.

 

E a culpa não é minha, é tua. E não sou só eu que digo, os meus amigos também já repararam. Eles próprios já têm um historial de problemas contigo! E eu bem que te tento defender e dizer que estás só numa fase complicada. Naquela altura má do mês talvez.

 

Se calhar era eu que não queria ver a verdade.

 

Mas não, isto já não é uma fase. Porque é que antes de me falhares não pensas nos bons momentos que passámos os dois?

 

Fomos companheiros de viagem, nunca te negaste a aceitar nada meu. Mesmo quando eu te negava visitas regulares tu sempre estiveste lá para mim.

 

Apaixonei-me pelas tuas capacidades. Mais do que a aparência foi o teu conteúdo que me cativou.

 

Tanta mensagem. Tantas fotografias e vídeos que fizemos. Eventos que me ajudaste a organizar. Tanta coisa boa.

 

Como é que tu atiras este tempo todo pelo servidor abaixo? Assim, sem mais nem menos?

 

O que mais gostava em ti era a tua simplicidade, mas desde que mudaste de visual tornaste-te diferente.

 

Que lata que tu tens, vires à minha página e dizeres-me que não estou autorizada a fazer alterações.

 

Isso é que já é demais!

 

 

 

 

publicado por Cátia Domingues às 12:34
link do post | Aplaudir | favorito
|
Segunda-feira, 24 de Janeiro de 2011

You know what

publicado por Cátia Domingues às 20:22
link do post | Aplaudir | ver aplausos (1) | favorito
|

A Moleskine de Mário de Sá-Carneiro

 

 

Quem di diligunt adulescens moritur

 

Decarregar a Moleskine na íntegra aqui.

tags:
publicado por Cátia Domingues às 11:42
link do post | Aplaudir | favorito
|

Campanha integrada

 

 

Para entrar no mercado Italiano o Carrefour comprou uma cadeia de local de supermercados e para comunicar a sua presença desenvolveu uma campanha integrada em Roma com carrinhos de supermercado. ShoppingCarts.

 


 

(E por falar em campanha..e ontem hein?! Vale a pena falar ou já se esmiuçou tudo?)

tags:
publicado por Cátia Domingues às 10:37
link do post | Aplaudir | favorito
|

.Existentialism

.subscrever para vossas casas.

.Agora também sou moderna.

.Bird is the word

.Espectadores

Free Web Counter
Web Counter

.Recent shows

. Desculpem o Transtorno.

. Nem o Portugal-Islândia m...

. Não é mais um texto de um...

. Isto não é uma crise de r...

. Verão é paixão, é cerveja...

. Eis como o casamento entr...

. Mas isto não é um profess...

. Voltei. Adeus.

. O que não te perguntaram ...

. O que não te perguntaram ...

. O que não te perguntaram ...

. O que não te perguntaram ...

. O que não te perguntaram ...

. "Gorda do Dia"

. O que não te perguntaram ...

. O que não te perguntaram ...

. Carta da Guerra

. Duas mil pessoas? UPPA, U...

. "Gorda do Dia"

. Não é preciso abortar par...

. "Gorda do Dia"

. Camões, partiste um mês c...

. "Gorda do Dia"

. "Gorda do Dia"

. O que não te perguntaram ...

. PPV, o culto que tem medo...

. "Gorda do Dia"

. Compromissos Comerciais:

. Compromissos Não-Comercia...

. "Gorda do Dia"

.Old shows

. Novembro 2016

. Junho 2016

. Fevereiro 2016

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Abril 2015

. Dezembro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

.My Theme Song

.tags

. todas as tags

.pesquisar

.links

.links