Quarta-feira, 22 de Dezembro de 2010

Um TÊ e um Á = TÁ

Desde que me conheço que adoro cartoons.

 

Pragmáticos. Com humor de fazer cócegas no cérebro.

 

Não foi o manual de língua portuguesa da primeira classe que me ensinou a juntar um T Tê e um À = TÁ. Foi a juntar letras como V+i+e+t+n+a+m+e e c+o+m+u+n+i+s+m+o e R+e+a+c+c+i+o+n+a+r+i+o que aprendi a ler. E ficava a pensar horas no que aquilo queria dizer. Eu sentia, cá dentro, que não percebia as piadas. Não as percebia mas fazia de conta que sim, quando comecei a querer mostrar a minha maturidade e volta e meia tinha saídas 'copy paste' da Mafalda a meio de jantares de família. Tinha uma necessidade de crescer e de ser reconhecida como adulta. Quando perguntava aos meus pais o que era comunismo, liberdade ou capitalismo levava sempre com a mesma resposta "Um dia vais perceber. Porque é que não lês os livros que tens praí da Anita?" e riam-se muito de mim. No fundo acho que nem eles percebiam muito bem esses conceitos.

 

Nunca perceberam que a Anita nunca me disse nada. Ora vai à escola, ora vai à praia, ora vai ao circo. Sempre a mesma coisa, só mudava o destino. No fundo a vida dela não era muito diferente da minha.

 

A minha relação com a Mafalda era especial..nunca me cansava de adorar aqueles quadradinhos a preto e branco. Como eram raros os que entendia, eram sempre uma novidade para mim. E o livro era gigante, quase maior que eu, para virar uma página tinha de me esticar toda e como dava tanto trabalho saboreava melhor as páginas.

 

 

 

Também achava que o Quino era um cavaleiro e que era dono dos livros. A minha edição era da D.QUIXOTE.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O meu é IGUALZINHO a este. E já lá vão 17 anos.

 

publicado por Cátia Domingues às 17:50
link do post | Aplaudir | ver aplausos (2) | favorito
|

T-R-Ê-S M-I-L-H-Õ-E-S

Segundo uma notícia do Meios não somos 2.8 milhões no Facebook como mencionei no outro dia.

 

No fim-de-semana passado batemos o record de 3 milhões de perfis portugueses.

 

WOW

 

E atenção, não são só 3 milhões..são 3.026.800 !

 

O que comprova que o Facebook ainda está muito longe do fim.

 

Segundo o estudo do SocialBakers, "o principal grupo é o compreendido entre os 25 e os 34 (34 por cento), seguindo-se a faixa 18-24 anos (25 por cento) e a dos 35-44 anos (18 por cento). Os mais jovens, entre os 13 e os 17 anos representam 12 por cento dos utilizadores, enquanto os mais velhos, 45-54 anos, situam-se nos sete por cento. Os maiores de 55 anos não ultrapassam os três por cento".

 

Em relação às marcas mais rockstars deste nosso universo, "A Nike Football Portugal é a marca com maior número de fãs em Portugal (281 008 seguidores). Os lugares seguintes, segundo o Social Bakers, são ocupados pela Swatch Portugal (208.857), TMN (162 610), Fnac Portugal (147 732) e Vodafone Portugal (126 461). Optimus,. Super Bock, Sumol Portugal, TMN Moche e Sudoeste TMN fecham o top 10."

 

Ai querem relacionar-se desmedidamente uns com os outros? e comunicarem muito muito todos juntinhos?

 

Comuniquemos então.

 

 

 

 

publicado por Cátia Domingues às 10:20
link do post | Aplaudir | favorito
|
Terça-feira, 21 de Dezembro de 2010

Ponto Final. Dois Pontos.


Ellipsis

 

 

the omission from a sentence or other construction ofone or more words that would complete or clarify theconstruction, as the omission of who are, while I am, orwhile we are from I like to interview people sittingdown.

 

tags:
publicado por Cátia Domingues às 17:50
link do post | Aplaudir | favorito
|

É mais que um balanço do ano

Bem, isto agora é altura de balanços. O que correu bem. O que correu mal. O que correu assim-assim. As melhores. As piores. Os que nem aquecem nem arrefecem. And so on..

 

Os balanços são importantes, muito importantes aliás. Percebermos onde é que acertamos e onde falhámos e o porquê. O que temos de continuar a fazer e o que podemos fazer de diferente. E mais, quem é que está um passo a frente e um passo atrás. Chorarmos por não estarmos à frente e regozijarmos por termos alguém pior que nós.

 

Eu própria o hei-de fazer. Mas agora não que ainda tenho mais 10 dias para gozar. E nunca se sabe, pode ser que até lá o mundo decida sortear-me com mais uma volta no carrossel.

 

Anyway..

 

Mais básico e profundo que este tipo de balanços sobre iPads, Smartphones ou de Nintendos é um balanço de Direitos Humanos. Estando nós em 2010, este é o estado dos Direitos Humanos pela Amnistia Internacional.

 

Ora vejamos:

 

Como é que eu disse há pouco?!

 

Ah! "Percebermos onde é que acertamos e onde falhámos e o porquê. O que temos de continuar a fazer e o que podemos fazer de diferente"

 

Ok.

publicado por Cátia Domingues às 16:55
link do post | Aplaudir | favorito
|
Sexta-feira, 17 de Dezembro de 2010

Ponto.

 

 

 

 

"Whoever controls the media, controls the mind."

 

Jim Morrison

 

 

 

tags:
publicado por Cátia Domingues às 16:17
link do post | Aplaudir | ver aplausos (1) | favorito
|

TwittiLeaks

 

 

Roubado daqui.

tags:
publicado por Cátia Domingues às 11:42
link do post | Aplaudir | favorito
|
Quinta-feira, 16 de Dezembro de 2010

Impressões Digitais

Hoje no Briefing apareceu em destaque esta notícia sobre o Facebook em Portugal baseado num estudo da Netsonda. Os resultados são suficientes para concluirmos alguns aspectos importantes sobre o bom ou mau comportamento das marcas e dá-nos uma visão sobre comportamentos dos utilizadores. O nosso comportamento.

 

A verdade é que os facebookianos se interessam pelas páginas das marcas, empresas e produtos, estes representam 37% dos entrevistados sendo que mais de metade destes utilizadores são os que de facto se interessam pelo que a marca lhes quer dizer..querem saber novidades, querem intervir directamente e explorar o sentimento de pertença que têm. E uma das conclusões é que parece que as marcas estão no caminho de um engagment certo e que estão a aproveitar o potencial destes canais.

 

Temos o caso de sucesso do Starbucks que graças a uma brilhante estratégia digital se tornou na marca mais popular do Facebook com 3.6 MILHÕES de fãs, ultrapassando a Coca-Cola. Como? Com uma página oficial, com promoções para fãs, com Engagement Ads, com aplicações especiais desenvolvidades pela marca, com recurso a publicidade para ACTIVAR campanhas puramente online, com multi-plataformas online, com a AJUDA dos fãs, etc..

 

No caso das páginas de grupos, apesar de 72% mostrar interesse, não podemos assumir que seja pelas melhores razões ou ideiais. Inclusivamente porque se chegou a um ponto os os grupos muitas vezes são quase "estados" dos utilizadores..não significa que realmente falem e oiçam o que se passa nesses grupos, pois muitas vezes só lá foram uma vez.

 

 

O estudo também constatou que de facto a maioria de nós está sempre ligada, nem que seja uma vez por dia. E curiosamente é o grupo feminino que mais tempo passa nestas plataformas. Computador ou telemóvel é indiferente, mas a verdade é que já se tornou um ritual diário. Segundo um estudo do IDC European Mobile Phone Tracker, também divulgado hoje, conseguimos saber que a utilização do Facebook em ligação mobile DUPLICOU em 4 meses (Junho a Março). Para ter uma ideia, no terceiro trimestre deste ano foram vendidos 251 MIL smartphones, o que representa uma subida de 82% de vendas deste tipo de aparelhos. E a previsão é que, em 2014, 1 em cada 4 telemóveis seja Smartphone.

Isto comprova a tendência do online..

 

Estes dados e conhecimento destas tendências é fundamental para podermos trabalhar, não só na Web mas em qualquer coisa que façamos, porque são fundamentais para perceber que às vezes até pode nem fazer sentido, nem se justificar, que trabalhemos nestas redes. Mas é informação importante e ressalto a importância de estudos nacionais como este que só nos ajudam a ter uma visão global e real, porque muitas vezes só nos baseamos em meras percepções, do que se passa à nossa volta.

 

..e é aqui que estamos todos e é aqui que o novo jogo da comunicação começa.

 

Entrevista da Alex Wheeler, Director of Digital Strategy da Starbucks (que também é gira) sobre o 'segredo' da marca:

 

 

 

 

 

 

 

 

 



publicado por Cátia Domingues às 13:05
link do post | Aplaudir | favorito
|
Quarta-feira, 15 de Dezembro de 2010

O meu bilhete para o Upload Lisboa PRO

 

 

 

AQUI.

 

 

 

 

Podia ter pago 332€ ?! apesar de ser um investimento, nem por isso.

 

Long Live Livestream !

 

tags:
publicado por Cátia Domingues às 16:37
link do post | Aplaudir | favorito
|

Eu uso calças.

 

 

 

 

Vi hoje um vídeo que anda a correr o mundo sobre uma mulher sudanesa que por alegadamente vestir calças foi amarrada e chicoteada 53 vezes, em plena rua, como se de um espectáculo circense se tratasse. Segundo a lei sudanesa, caso esta mulher não se resignasse à punição em praça pública poderia ser presa durante vários anos. O vídeo levou o Ministério da Justiça do Sudão a abrir uma investigação, com o objectivo de verificar se o castigo foi administrado correctamente, com base no código penal islâmico. O que não se percebe é como é que isto entra no código penal e como é que existe uma forma de o executar 'correctamente', sim porque a lei só permite 50 açoites. E isso já é razoável.

 

 

Agora voçês perguntam: "Bem, isso são leis ancestrais do tempo em que os dinossauros andavam na Terra." ou "É um ritual cultural."

 

Não.

 

A lei é de 1991.

 

A Amnistia Internacional sempre denunciou estes atentados à dignidade humana, aos direitos do Homem (com H grande, que pode amamentar, ter filhos e ir à casa de banho a pares) e que afectam especialmente as mulheres do Sudão onde impera um regime de ordem pública que limita activamente os direitos humanos de mulheres e crianças. Sim porque a lei também abrange menores. A Amnistia pede ao governo sudanês que ponha fim ao uso da flagelação como punição e outorgue reparação às vítimas deste tratamento cruel, desumano e degradante, e que revogue o artigo 152, já que sua formulação é vaga e discriminatória e constitui uma violação à liberdade de expressão.

 

No Sudão, estas mulheres correm o risco de serem detidas arbitrariamente com argumentos de 'conduta ou vestimenta indecentes ou imorais'. Tudo está errado nestes argumentos, e não me venham com questões culturais porque estas atitudes nada dignificam a culturalidade de um povo. São os agentes da Policia de Ordem Pública que decidem o que é decente e o que não é. Porque sim. Porque não. Um dia-a-dia de terror para quem nasceu sem dois testículos e um pénis.

 

Com a difusão deste vídeo, foi realizada ontem uma manifestação, em Cartum, no Sudão, com 46 mulheres para evitar que casos como estes se extingam e que o governo perceba a desumanidade destes actos.

 

Em que é que isto resultou? Os manifestantes foram detidos "para proteger os cidadãos e suas propriedades", e foram acusados de ameaçar a segurança pública. Durante o protesto, que segundo a Polícia era ilegal porque não tinha permissão das autoridades, os detidos levaram cartazes com mensagens como "humilhar à mulher é humilhar o povo".

 

É nestas alturas que sinto que tenho sorte em viver num país onde atentados como estes não acontecem. Sou privilegiada. Uso calças.

 

São pessoas bafejadas pela sorte, como eu, como qualquer um de nós, que podemos tentar inverter esta situação. Como? Pressionando as pessoas com poder junto de organizações e entidades. Juntando-nos a uma causa/organização que esteja associada a esta causa. Sensibilizando. Mobilizando. Criando uma agenda mediática consistente para esta situação. Indo para o terreno e educar. Informando-nos.

 

Peço a vossa especial atenção ao momento que se segue, os conteúdos são da inteira responsabilidade dos intervenientes:

 

 

 

 

publicado por Cátia Domingues às 11:51
link do post | Aplaudir | favorito
|
Terça-feira, 14 de Dezembro de 2010

Fala do velho do restelo ao astronauta..

Fala do velho do restelo ao astronauta


Aqui, na Terra, a fome continua, 
A miséria, o luto, e outra vez a fome. 

Acendemos cigarros em fogos de napalme 
E dizemos amor sem saber o que seja. 
Mas fizemos de ti a prova da riqueza, 
E também da pobreza, e da fome outra vez. 
E pusemos em ti sei lá bem que desejo 
De mais alto que nós, e melhor e mais puro. 

No jornal, de olhos tensos, soletramos 
As vertigens do espaço e maravilhas: 
Oceanos salgados que circundam 
Ilhas mortas de sede, onde não chove. 

Mas o mundo, astronauta, é boa mesa 
Onde come, brincando, só a fome, 
Só a fome, astronauta, só a fome, 
E são brinquedos as bombas de napalme.

 

J. Saramago

 


tags:
publicado por Cátia Domingues às 11:50
link do post | Aplaudir | favorito
|

Até a imagem é desconfortável..

 

Uma coisa é 'não agressão', outra é apatia. Fotografia esquisita.

 

Será que com toda esta descoordenação as mãos irão,de facto, tocar uma na outra?

publicado por Cátia Domingues às 11:25
link do post | Aplaudir | favorito
|
Segunda-feira, 13 de Dezembro de 2010

11 de Dezembro 2010

No dia em que o país inteiro comemorava 10 anos após a exibição da Telenovela Tieta, também deu lugar Upload Lisboa 2010.

 

O Pior:

  • ter chegado três horas atrasada e ter perdido a apresentação da Sara Batalha. Que não deve ter desiludido pois referências à sua apresentação foram uma constante durante todo o evento. Apanhar do ar nessas alturas.
  • O meu Blackberry decidir falhar-me e ficar sem acesso ao Twitter e ao Facebook durante todo o evento.F#$%&#E.
  • Não ter feito uma pergunta que queria (perda de timming)
  • Não ter cigarros. (obrigado a quem gentilmente me cedeu nicotina nas horas de maior aperto)
  • Não haver salgados no Coffee Break

 

 

O melhor:

  • O estacionamento
  • A simpatia do Staff (embora tenha tido dificuldade em perceber quem era staff e quem não era)
  • A Tweet Wall
  • A menina do microfone
  • A complementaridade das apresentações
  • As ideias que surgem através das experiências dos outros
  • A estimulação criativa e pessoal
  • Ver de perto um iPad pela primeira vez

 

 

Balanço: Positivo, e já agora os meus parabéns à organização. De facto faz falta mais eventos deste género para se estimular uma actualização dos profissionais/futuros profissionais. E quiçá pessoas que não tenham nada melhor para fazer a um sábado.

 

Curioso, mas fui só eu que achei que as pessoas no evento tinham praticamente todas o mesmo ar? Uma espécie de Pessoas mas na versão 'qualquer número acima de um ponto zero'.

 

Ok, se calhar fui sou eu.

 

 

 

Relembremos então o inesquecível Hit que abria este grande marco da televisão nacional:

 

 

publicado por Cátia Domingues às 15:39
link do post | Aplaudir | ver aplausos (4) | favorito
|

Descubra as Diferenças

Estava eu no Jornais e Revistas online e dou com isto:

 

 

 

é à vontade do leitor..prefere um Goucha feliz ou triste e abandonado?

 

publicado por Cátia Domingues às 10:42
link do post | Aplaudir | favorito
|
Sexta-feira, 10 de Dezembro de 2010

Upload Lisboa

Quando? Amanhã

 

Onde? Auditório da Reitoria da Universidade Nova de Lisboa

 

O quê? Upload Lisboa 2010 - onde ser vão partilhar conhecimentos e discutir experiências deste mundo 2.0. O sentido da vida, FMI e o futuro nome do rebento de Luciana Abreu e Yannick Djaló também serão temas possíveis de abordar.

 

Como? Comendo.

 

Os oradores deste espectacular evento, para pessoas giras e que cheiram bem, são: André Rabanea + Diogo Teixeira + Miguel Gonçalves + Nuno Veiga + Pedro Aniceto + Ricardo Tomé + Rodrigo Saraiva aka. Corleone + Rui Lourenço + Sara Batalha. Estes e muitos mais (aqueles que no êxtase saltarem para o palco) irão guiar-nos pelo que se anda a passar no país e mundo.

 

High Expectations.

 

 

 

tags:
publicado por Cátia Domingues às 17:56
link do post | Aplaudir | favorito
|

A terceira nação do planeta

Li recentemente um artigo da Visão de Novembro acerca das redes sociais (através do blogue foodfortought ) e que considero ser um bom apanhado do impacto do mundo 2.0. Ainda há quem menospreze a força de uma campanha digital, que considere que preencher meia dúzia de passos e criar uma página de facebook para o cliente/empresa seja o significado de digital.

 

Usando o exemplo do Facebook, Sempre fomos um povo com grande iniciativa para participar nas coisas assim que elas saem. Aderimos porque gostamos de ser interessantes, que nos achem interessantes, mesmo quando estamos muito tristes ou quando vamos dormir. Queremos que nos ouçam, que saibam que existimos, queremos aparecer de alguma forma. Também gostamos de saber que temos muitos amigos, e que estes já não se contam mais pelos dedos da mão e que ' cauda da europa' é um vocábulo que recusamos a admitir nestas coisas de vanguarda. A não ser que surja algum grupo 'contra sócrates' que tenha um título giro.

 

As redes sociais permitem falar directamente com as pessoas, saber quem são, o que fazem, o que sentem, se estão numa relação ou não, se querem uma estátua do Senhor do Adeus no Saldanha, se saem a noite, para onde vão, etc.. temos acesso a informação do cliente/consumidor. Podemos traçar perfis de utilizadores, podemos juntá-los em grupo, podemos incitar comportamentos. Mas precisamos de os perceber e responder in loco, da forma mais eficaz que encontramos, às suas necessidades, sejam elas quais forem. Mas para isso temos de ouvir. Ouvir e só depois falar, caso seja caso disso. E falar directamente ao coração, não à carteira. É o tal 'power to you' que a Vodafone falava.

 

Temos de aceitar a liberdade de pensamentos e a flexibilidade de paixões. Todos podemos passar de bestiais a bestas e a informação corre a velocidade luz..toda a gente corre o risco de ser aclamada ou chacinada em praça pública. E as praças hoje em dia são as plataformas que conhecemos e nas quais passamos 1/3 do nosso tempo.

 

Lá porque a nossa página pessoal de Facebook tem mil amigos e pomos lá posts divertidos e ajudamos à viralidade das coisas não significa que entendamos perfeitamente o potencial destas redes. É mais profundo que isso. Substimar este potencial é recusar o futuro. E é isso que como marca/empresa é interessante explorar. Onde é que os pontos se unem.

 

O Facebook contém 557 milhões de utlizadores e absorve 25% do mercado publicitário americano online  - só em Portugal tem 2.8 milhões. Cauda da Europa? i dont think so.

 

 

 

 

publicado por Cátia Domingues às 12:21
link do post | Aplaudir | favorito
|

.Existentialism

.subscrever para vossas casas.

.Agora também sou moderna.

.Bird is the word

.Espectadores

Free Web Counter
Web Counter

.Recent shows

. Desculpem o Transtorno.

. Nem o Portugal-Islândia m...

. Não é mais um texto de um...

. Isto não é uma crise de r...

. Verão é paixão, é cerveja...

. Eis como o casamento entr...

. Mas isto não é um profess...

. Voltei. Adeus.

. O que não te perguntaram ...

. O que não te perguntaram ...

. O que não te perguntaram ...

. O que não te perguntaram ...

. O que não te perguntaram ...

. "Gorda do Dia"

. O que não te perguntaram ...

. O que não te perguntaram ...

. Carta da Guerra

. Duas mil pessoas? UPPA, U...

. "Gorda do Dia"

. Não é preciso abortar par...

. "Gorda do Dia"

. Camões, partiste um mês c...

. "Gorda do Dia"

. "Gorda do Dia"

. O que não te perguntaram ...

. PPV, o culto que tem medo...

. "Gorda do Dia"

. Compromissos Comerciais:

. Compromissos Não-Comercia...

. "Gorda do Dia"

.Old shows

. Novembro 2016

. Junho 2016

. Fevereiro 2016

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Abril 2015

. Dezembro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

.My Theme Song

.tags

. todas as tags

.pesquisar

.links

.links