Sexta-feira, 10 de Maio de 2013

Fetiches

Já no outro dia tinha falado sobre isto, mas só hoje confirmei as minhas suspeitas.
Graças à mais recente flashmob nacional, descobri o maior fetiche do clientes neste país. 
Não são as accounts giras, não é o layout simétrico da apresentação nem os almoços grátis.
Nop.
O que lhes dá mesmo tesão, é que lhes atirem à cara flashmobs.
Adoram que lhes sussurrem ao ouvido a palavra digital enquanto lhes vão fazendo promessas virais.
Ficam loucos.
O pior é que, como no sexo anal, pensam que nós também gostamos muito.
Meia dúzia de pessoas a dançar ao som de música da moda, com mais 20 ou 30 pessoas à volta, uma máquina de filmar e pumba..aqui temos uma acção bem moderna de comunicação que vai causar inveja na concorrência.

Depois lambuzam-se naqueles vídeos, com efeitos espectaculares, para mostrarem o quão divertido e emocionante foi aquilo, nem que seja para o departamento de marketing, que não trabalhou nesse dia.
O que nunca pode faltar nesses vídeos são as 4 pessoas do público, com telémoveis e máquinas fotográficas, para dar a ideia que se comprou uma coisa mesmo diferente e que vai ser muito partilhada nas redes. Confesso que é esta a minha parte favorita, porque há sempre uma velhinha desconfiada lá pelo meio.
Estimados clientes, desde a merceearia até às empresas do PSI 20, vamos lá a ver se nos entendemos..ninguém quer saber de flashmobs desde 1824.
Parecemos o governo e a austeridade, o mundo inteiro já percebeu que não resulta, menos nós. Parem com isso!
A ver pela quantidade de "flashmobs" transformadas em eventos de facebook, acho que, em Portugal, nunca sequer percebeu o conceito.
Para além disso, hoje em dia a flashmob é um recurso demasiado básico, irritante..deixou de ser eficaz. Há programas de televisão nos Estados Unidos sobre flashmobs que terminaram por falta de audiências.
Não sugiram às vossas agências, nem comprem mais esta banha da cobra. Pela saúde da comunicação em Portugal, que já não é muita.
publicado por Cátia Domingues às 15:03
link do post | Aplaudir | favorito
|

.Existentialism

.subscrever para vossas casas.

.Agora também sou moderna.

.Bird is the word

.Espectadores

Free Web Counter
Web Counter

.Recent shows

. Desculpem o Transtorno.

. Nem o Portugal-Islândia m...

. Não é mais um texto de um...

. Isto não é uma crise de r...

. Verão é paixão, é cerveja...

. Eis como o casamento entr...

. Mas isto não é um profess...

. Voltei. Adeus.

. O que não te perguntaram ...

. O que não te perguntaram ...

. O que não te perguntaram ...

. O que não te perguntaram ...

. O que não te perguntaram ...

. "Gorda do Dia"

. O que não te perguntaram ...

. O que não te perguntaram ...

. Carta da Guerra

. Duas mil pessoas? UPPA, U...

. "Gorda do Dia"

. Não é preciso abortar par...

. "Gorda do Dia"

. Camões, partiste um mês c...

. "Gorda do Dia"

. "Gorda do Dia"

. O que não te perguntaram ...

. PPV, o culto que tem medo...

. "Gorda do Dia"

. Compromissos Comerciais:

. Compromissos Não-Comercia...

. "Gorda do Dia"

.Old shows

. Novembro 2016

. Junho 2016

. Fevereiro 2016

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Abril 2015

. Dezembro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

.My Theme Song

.tags

. todas as tags

.pesquisar

.links

.links